Três questões que o fabricante de software deve responder

No espaço de uma década, a tecnologia da informação tomou conta de praticamente todos os departamentos de uma empresa. Criando uma demanda muito grande para softwares de todos os tipos. Essa procura fez com que surgisse inúmeros novos fabricantes de software. Aumentando a concorrência e qualificando o mercado.

Esse crescimento forçou as empresas a criarem estratégias mais completas de comunicação com os seus consumidores, na esperança de conseguir mais clientes. Nessa estratégia é fundamental deixar algumas questões muito claras. Questões que devem ser respondidas desde o primeiro contato, para fortalecer o processo de decisão. Abaixo citamos as principais.

Como você será melhor trabalhando comigo?

A indústria da tecnologia nos deu uma nova visão sobre o consumidor. Através de novas ferramentas podemos acompanhar todo o seu comportamento. O problema é que a própria indústria acabou caindo na mesmice. O esforço criado em desenvolver novas tecnologias muitas vezes não reflete no número de vendas. Trazendo uma certa desconfiança a clientes.

Dessa forma, a primeira questão a ser respondida por todo fabricante de software é como o seu cliente será melhor se trabalhar com o seu software. Ou seja, qual o diferencial competitivo que ele terá? De que forma os clientes dele serão impactados? Como posso ser mais eficaz? São respostas simples que qualificam a escolha de um novo software.

O que acontece se a parceria acabar?

ERP, CRM, controle de estoque, de finanças. Esses são apenas alguns softwares exigidos nas empresas atualmente. Eles são fundamentais para a operação e não podem simplesmente serem desligados. A perda de um parceiro de software pode impactar negativamente no caixa da empresa, gerando graves problemas.

O que acontece se a parceria acabar? Como fica o suporte? E as atualizações? Esse pontos precisam ficar claros durante toda a fase de análise da proposta e nos contratos. Dessa forma você obtém meios de proteger sua empresa, seus clientes e seus funcionários caso haja algum problema com a fabricante ou propriamente com o software.

Onde está a etiqueta de advertência?

A maioria dos produtos e serviços possuem problemas que podem atrapalhar a boa operação. Alguns problemas de usabilidade ou erro são comuns e até aceitáveis. Mas há alguns detalhes que podem comprometer o software. Infelizmente, muitas empresas “escondem” esses detalhes para tentar fazer a venda de qualquer maneira.

Quais os requisitos mínimos para o software funcionar? Quantos pessoas podem operá-lo? Qual o nível de treinamento delas? Apesar de fundamentais, muitos fabricantes de software esquecem de deixar claro esses pontos. É fundamental que o empresário procure meios de descobrir os pontos fracos do software que está contratando. Muitas vezes essas respostas virão de outros clientes da mesma empresa.

Junto disso, é preciso considerar quem estará usando o novo software na sua empresa. Mesmo as mais avançadas ferramentas de trabalho podem atrapalhar o rendimento da companhia caso estejam sendo usadas de forma errada. Como será feito o treinamento dos seus funcionários e até que ponto a fabricante se compromete a se envolver com isso deve ser levado em conta no momento da aquisição.

São poucas questões que, quando respondidas, ajudam sua empresa a tirar o máximo proveito de um novo software. Assim você contará com não apenas uma nova ferramenta, mas uma vantagem competitiva!