Outsourcing versus time de desenvolvimento interno, qual escolher?

O Brasil sofre de uma defasagem no número de profissionais na área de tecnologia da informação. Ainda não há por aqui uma cultura que incentive crianças e adolescentes a aprenderem a programar. Dessa forma, tudo se desenvolve na faculdade, que muitas vezes acaba formando profissionais desatualizados para o mercado.

Todo esse cenário não gera apenas carência de mão-de-obra qualificada, mas também encarece os bons profissionais disponíveis. Buscando a redução de custos, empresas de tecnologia acabam tirando proveito de serviços de outsourcing para criar seu próprio software.

Convém, antes de discutirmos qual o melhor modelo de desenvolvimento, nos aprofundarmos um pouco mais no termo outsourcing. Do inglês, significa terceirização, que é quando uma organização obtém serviços de profissionais de fora da empresa. Comum em diversos setores, o outsourcing começa a ganhar popularidade entre as empresas de tecnologia por ser uma opção mais em conta se comparada a manter um time de desenvolvimento interno.

Sabemos que não há uma fórmula que funciona igualmente para todas as empresas, pois para contratar você tem que analisar as possibilidades do seu negócio e o tipo de serviço que precisa. Mesmo assim, há alguns fatores a se considerar antes de decidir se o melhor para a sua empresa é terceirizar ou manter um time de desenvolvimento interno.

Custo do time e custo da terceirização

O primeiro fator que as empresas de tecnologia prestam atenção é o custo. Se você colocar no papel quanto se gasta com um desenvolvedor contratado em regime de CLT para a sua startup e comparar quanto custa o mesmo desenvolvedor terceirizado, facilmente vai perceber que é muito mais caro ter uma time de desenvolvimento interno.

Em geral isso acontece não apenas pelo custo direto do programador, mas também porque sobre ele irá incidir quase 100% do valor do salário em impostos. Também é obrigatório calcular o décimo terceiro e as férias. Todos esses custos oneram o empresário e acabam gerando impactos no lucro da empresa.

Por outro lado, programadores terceirizados não trazem na bagagem esses custos, já que eles são pagos pela empresa terceirizadora que está diponibilizando os serviços. Além disso, ao se tratar de empresas de tecnologia, há opções ainda mais baratas: serviços digitais como oDesk aproximam desenvolvedores estrangeiros de startups brasileiras. Por menos da metade do preço, você consegue terceirizar seus software para ser desenvolvido em países como Índia, Turquia e Israel.

Preciso de um time de desenvolvimento?

Os dois modelos apresentam suas vantagens e desvantagens. É necessário, então, que o empreendedor saiba quais riscos assumir. Por exemplo, se o sucesso da sua empresa depende da tecnologia, ou seja, se ela é o núcleo principal, ter uma equipe de desenvolvimento é o mais indicado. Se você precisar fazer uma manutenção urgente ou dar suporte para um cliente, é muito complicado ter que acionar um terceiro para ele fazer o serviço. Assim, sua empresa pode ficar com fama de oferecer serviços de má qualidade.

Cabe mencionar outra vantagem de manter um time de desenvolvimento interno: comunicação. É muito interessante para empresas de tecnologia poder interagir para entender como o software está sendo usado e como ele pode ser melhorado. Esse é um privilégio de empresas com times próprios.

Utilizando o outsourcing

Por outro lado, se a tecnologia é apenas um suporte para o seu negócio e uma vez ou outra não há problema se o sistema falhar, considere utilizar outsourcing. Você irá economizar um dinheiro valioso, que pode ser aplicado em outros departamentos, e não se preocupará com impostos, férias e décimo terceiro.

Se a opção for outsourcing, é fundamental que você converse com outras empresas que utilizam o mesmo método. Tanto para aprender como montar o projeto, como para entender como elas lidam com suporte e manutenção. Não se aventure entre programadores estrangeiros sem alguém experiente ao seu lado.

Mesmo listando vantagens e desvantagens, tanto para o outsourcing quanto para times internos, é fundamental que o empresário entenda que é preciso saber qual modelo pode se adaptar melhor para a realidade da sua empresa. Mesmo que seja tentador economizar dinheiro ao construir seu software, no futuro isso pode se mostrar um erro. E erros costumam custar caro.

Além de tudo, considere sua experiência com outsourcing antes de iniciar um projeto. Se não for bem executado, talvez você precise contratar alguém para consertar o código, gastando mais dinheiro e perdendo tempo. Não há um modelo ideal, mas há um caminho a seguir para ter sucesso.

Qual a sua escolha? Comente.