Dúvidas mais comuns sobre ERP na nuvem

A computação na nuvem cresce rapidamente a cada ano. Como consequência dessa expansão, vários serviços foram adaptados para operar nesse sistema. Até algum tempo atrás rodar softwares de gestão em servidores fora da empresa era algo impensável. Mas hoje, estes serviços estão na nuvem e são largamente utilizados pois além da acessibilidade, oferecem segurança e redução de custos.

Você sabe como um sistema ERP pode ser utilizado na nuvem? Pensando em sanar suas dúvidas, separamos algumas informações que você deve conhecer sobre o assunto.

Entendendo o ERP

Antes de falarmos sobre as questões relacionadas à computação em nuvem, vamos recordar o que é um Enterprise Resource Planning (ERP). Esse é um tipo de software pensado para auxiliar a gestão empresarial.

Com um ERP é possível interligar dados e agilizar a comunicação entre departamentos distintos da empresa. Por exemplo, o departamento financeiro pode fazer um planejamento de final de ano levando em conta as informações inseridas no sistema pelo pessoal do RH. O departamento de compras pode adquirir novos itens dos fornecedores observando a variação dos itens em estoque.

Como cada empresa funciona de uma maneira bastante específica, os sistemas de ERP precisam se adaptar a cada uma delas. É claro que existem funcionalidades comuns a várias empresas, mas muitas vezes é preciso desenvolver uma solução que se adapte melhor no seu negócio.

ERP nas Pequenas e Médias Empresas

Assim como acontece com a maioria dos serviços oferecidos na nuvem, o ERP é mais barato e vantajoso para as Pequenas e Médias Empresas (PMEs). De um modo geral, PMEs não possuem muito capital para investir em departamentos avançados de TI. Manter sistemas, servidores e pessoal capacitado sob o teto da empresa pode inviabilizar o core business da companhia.

Além de ser caro manter o serviço, também é caro implantá-lo. Um sistema ERP deve se adaptar às necessidades de cada empresa. Com os serviços na nuvem, preços e complexidade de instalação foram atenuados e as PMEs podem encontrar nos ERPs um diferencial estratégico.

É seguro ter um ERP na nuvem?

Sim, é seguro. Alguns gestores gostam de manter a equipe de TI sob o teto da companhia pois isso dá uma certa ilusão de segurança. Contudo, em um ambiente digital, há maneiras de cuidar para que seus dados estejam sempre protegidos.

Deixar a segurança por conta de quem entende dela, sem dúvidas, é uma escolha mais sóbria. Provedores de serviços de computação na nuvem estão acostumados e melhor preparados para lidar com ataques ou falhas de segurança.

E se a internet cair?

A partir do momento em que sua empresa passa a operar com sistemas na nuvem, uma internet estável e que atenda todo o espaço da empresa deve ser sua prioridade número um. Aproveite a economia gerada pelo serviço na nuvem para investir em conexão de qualidade.

Tenha sempre mais de uma opção de conexão com a internet. O servidor dificilmente ficará fora do ar, pois os serviços na nuvem operam com grande número de usuários e colaboradores. Se sua conexão também tiver alta abrangência, você não experimentará uma queda de produtividade da empresa por conta da internet instável.

O ERP na nuvem é mais lento?

De um modo geral, a largura de banda do provedor é pensada pra dar conta dos piores cenários. Se você investiu numa boa conexão com a internet, certamente não terá muitos problemas com a lentidão dos serviços.

Um ERP na nuvem vai se adaptar à minha empresa?

Sim. Procure por provedores de ERP na nuvem que ofereçam os serviços de maneira modular. Você pode começar adquirindo módulos fundamentais para o funcionamento da companhia como o RH, Financeiro, Projetos, Jurídico e CRM. E em um segundo momento, procurar por módulos que sejam específicos para sua empresa. Se você operar uma empresa de logística, por exemplo, provavelmente precisará de um módulo para gerenciar sua frota e outro para gerenciar os itens armazenados no estoque.

Como pagar pelo ERP na nuvem?

Cada provedor oferece modalidades específicas de assinatura do serviço. Por isso licenciamento se torna algo complexo. Há quem cobre pelo ERP em períodos mensais, semestrais ou anuais. Também é preciso pagar pelo aluguel do servidor, pelo serviço de suporte técnico e pela largura da banda.

Esses serviços podem ser contratados em conjunto ou separadamente. O importante aqui é fazer uma boa pesquisa de mercado e organizar essas informações. Somente assim será possível escolher a melhor opção dentre as inúmeras variáveis.

Mais dúvidas? Deixe um comentário!