O que são os bugs nos softwares?

Todas as pessoas que usam computadores no dia-a-dia já se depararam com um. O bug, palavra em inglês que significa inseto, é um erro ou falha no código de um software que impede o programa de continuar funcionando normalmente ou que uma ação seja executada pelo usuário.

A palavra bug já foi amplamente utilizada na engenharia e, posteriormente, foi adotada por profissionais da área de informática. O início do uso do termo ainda gera controvérsias e geralmente envolve insetos gerando curtos-circuitos em computadores. Mas o importante é saber que os bugs se tornaram um obstáculo ao bom funcionamento dos softwares e que podem gerar custos elevados e desnecessários.

Infelizmente, os bugs não se restringem ao aborrecimento que passamos quando somos surpreendidos por uma janelinha com um sinal de erro e um barulhinho irritante. De acordo pesquisadores, os desenvolvedores de softwares gastam 50% do tempo de trabalho localizando e corrigindo bugs. Combinando essa estimativa com os gastos com salários e pagamentos no setor, a pesquisa calcula que os bugs custem mais de 300 bilhões de dólares por ano à economia mundial.

Além disso, os bugs também podem causar problemas graves de segurança para as empresas e internautas, caso ocorram em softwares que possuem acesso à internet, como os navegadores da web e os clientes de e-mail. As brechas deixadas pela falha podem deixar o caminho livre para invasores em busca de arquivos e informações nos computadores.

Desta forma, é fundamental se manter atualizado sobre correções e atualizações fornecidas por desenvolvedores de software para manter seu sistema sempre protegido.

Como solucioná-los

Antigamente, quando alguns computadores ainda utilizavam válvulas para funcionar, muitos insetos eram atraídos para os componentes devido à alta temperatura, causando curtos-circuitos que danificavam a máquina. Por isso, muitas vezes era necessário desligar o computador e limpar os insetos que estavam no local e poderiam causar algum problema.

Já nos dias atuais, os bugs são restritos à linguagem de programação do computador, mas também podem ser resolvidos pelos usuários. Alguns softwares foram desenvolvidos somente para localizar os bugs e tentar resolvê-los sem precisar de ajuda profissional. Enquanto alguns programas são voltados especificamente para falhas em uma determinada aplicação, outros possuem uso mais geral, localizando falhas em vários tipos de software.

Uma alternativa para aqueles que são interessados em linguagem de programação é a emulação de um sistema operacional virtual, para que o próprio usuário tente mudanças no código, sem comprometer o computador. Outra opção é localizar tutoriais na internet que abordem o bug localizado pelo usuário e expliquem a melhor forma de solucioná-lo.

Caso nenhuma dessas medidas seja eficaz para resolver o problema, o ideal é reportar o erro ao desenvolvedor do software para que o bug seja solucionado.

Como evitá-los

A melhor forma de garantir o desenvolvimento de um software sem bugs é prevenir a sua ocorrência logo no início.

Durante a execução de um projeto de software, as informações trocadas podem se perder pelo caminho ou até mesmo se tornarem diferentes daquilo que eram inicialmente. Desta forma, é fundamental estimular uma boa comunicação e a colaboração entre cliente e as equipes de desenvolvimento, permitindo que as expectativas estejam sempre alinhadas e as ações a serem executadas no software atendam aos requisitos estabelecidos no início do projeto.

Além disso, por mais que a programação de computadores envolva comandos altamente precisos e baseados em regras matemáticas, os softwares são desenvolvidos por pessoas, que também estão sujeitas a cometer erros. Por isso, as revisões de código são fundamentais para evitar os bugs causados por falhas humanas.

Mesmo com todas essas iniciativas, a melhor forma de prevenir bugs em softwares ainda é testando. A fase de testes é fundamental para garantir que o produto final atenda à expectativa do cliente, pois tem como objetivo cobrir todas as funcionalidades do software e avaliar sua correção.