A importância do gerenciamento back end para seu e-commerce

Uma boa plataforma de e-commerce pode ser o diferencial da sua loja online. Existem diversos sistemas disponíveis no mercado, mas como saber reconhecer a qualidade e as fraquezas dessas plataformas?

Uma das primeiras características a serem avaliadas é o back-end do site. Para que você entenda a importância dessa área da loja virtual, separamos algumas das características fundamentais de uma área administrativa. Mas antes, vamos entender algo importante.

A diferença entre back-end e front-end

O conceito é bastante simples. O front-end do site é a área que os internautas poderão acessar por meio de uma URL comum. Por exemplo, http://www.sualoja.com.br. Já o back-end, normalmente, está em um subdiretório do seu site. Algo como, http://www.sualoja.com.br/administrador.

O back-end é a área administrativa, onde o webmaster poderá alterar tudo o que existe no site, sem precisar tirá-lo do ar. Você pode perguntar: “Então quer dizer que o back-end é a área que usamos para editar o site?” A resposta é, sim! “E o front-end é só para visualizar?” A resposta é não! Alguns tipos de usuário, definidos pelo administrador, conseguem fazer alterações pontuais pelo front-end. Mas veremos isso mais adiante.

Principais funções do back-end

Um bom sistema de back-end precisa ter funções que permitam ao lojista desenvolver sua regra de negócios. Cada loja tem uma maneira própria de operar e o back-end deve tornar esse processo mais simples e organizado.

Content Management System (CMS): Publicação e edição de conteúdo

Essa é a ferramenta básica para qualquer loja virtual. É com um sistema CMS que você irá inserir os produtos na sua loja. É possível manter sua loja organizada utilizando categorias e TAGs para os produtos.

Para entender a diferença entre categorias e TAGs, vamos a um exemplo rápido. Imagine um e-commerce de calçados. Essa loja pode ter uma categoria chamada ‘Sapatos Casuais’ e outra ‘Sapatos Sociais’. Se você clicar em ‘Sapatos Casuais’, terá uma listagem de produtos dessa categoria. Vamos supor que um desses sapatos seja feito de couro. Uma TAG inserida no produto identifica essa característica. Se você clicar na TAG, terá acesso a uma lista de produtos feitos de couro, independentemente da categoria. Afinal, podemos ter um sapato social feito de couro.

Um CMS de e-commerce também deve ter um gerenciamento de estoque. Assim, quando um usuário fizer uma compra, o sistema atualiza o estoque subtraindo o número de itens comprados. Isso evita que sua loja venda produtos que não existam mais no estoque.

Usuários e ACL

O gerenciamento dos usuários é uma ferramenta muito importante. Especialmente pelo fato de que no comércio online ela será a base de dados do seu CRM, já que os usuários precisarão se cadastrar na sua loja para que seja possível comprar.

Além dos clientes, poderão existir outros tipos de usuário na loja. Vamos supor que o nosso e-commerce de sapatos precise de um coordenador exclusivo para a categoria ‘Sapatos Sociais’. Ela irá interagir com os clientes, respondendo dúvidas nos comentários e arrumando informações erradas nos produtos.

Um sistema de acesso condicional para os usuários, mais conhecido por Access Control List (ACL), permitirá que o coordenador edite informações pelo front-end do site. Isso confere agilidade e aumenta a segurança da loja ao evitar que muitos usuários tenham acesso ao back-end.

Layout das páginas

Os sapatos estão saindo de moda e os tênis esportivos se tornaram a nova tendência do mercado? Está na hora de fazer uma promoção de sapatos para liquidar o estoque. Para isso, vamos inserir um banner em todas as páginas e um grande aviso na home do site. Um bom sistema de back-end deve permitir esse tipo de alteração de layout do site. Isso sem precisar editar os códigos de cada página.

Elaboração de menus personalizados

Dependendo do tamanho da sua loja virtual, ela pode precisar de diversos menus diferentes. Cada um deles, dedicados a uma área específica do site. Os menus aliados às categorias e às TAGs permitem que você gerencie a arquitetura de informação do site. É preciso dedicar uma atenção especial nesse ponto. Afinal, o modo como você organiza e apresenta sua loja pode influenciar diretamente no sucesso das vendas.

Suporte para plugins

Até aqui, falamos de funções nativas do back-end, ou seja, funções que já vem com o sistema. Mas e se for preciso inserir algum sistema novo? Seu CMS deve ter suporte para isso também. Aceitar plugins é fundamental, pois isso ajudará a diferenciar sua loja das demais, além de dar um ganho de produtividade em alguns processos.

Para você ter uma ideia dos sistemas que podem ser ‘plugados’ no back-end de seu CMS, fizemos uma lista dos mais comuns:

  • Sistema avançado de comentários;

  • Fóruns;

  • Serviços de newsletter;

  • Ferramentas para backup;

  • Gerenciamento de banners;

  • Gerenciamento de Search Engine Optimization (SEO);

  • Suporte a Redes Sociais;

  • Plataformas de Redes Sociais.

Boa parte do sucesso de um e-commerce está no sistema em que ele foi feito. Por isso, além das dicas acima, é importante pensar na estabilidade e na segurança da plataforma.