App para android: 10 perguntas para fazer antes de contratar uma fábrica de aplicativo

Criar um aplicativo para Android pode ser uma estratégia bem interessante para aumentar o nível de engajamento do público, uma vez que a interação é facilitada e centralizada. Mas criar um app sozinho pode ser bem difícil!

A boa notícia é que você pode contratar uma fábrica de aplicativo! Uma mão na roda, não é mesmo? Contudo, isso não quer dizer que todos os seus problemas estejam acabados!

Escolher uma empresa para ser parceira na criação, desenvolvimento e lançamento do aplicativo também exige cuidados e a falta de competências e recursos pode colocar em risco todo o potencial da estratégia.

Por isso, preparamos este post com perguntas simples que podem ajudar na escolha da empresa certa e evitar uma série de arrependimentos. Continue conosco para descobrir agora 10 perguntas que você deve fazer antes de contratar uma fábrica de aplicativo!

1. Onde posso acessar os aplicativos já desenvolvidos?

Uma fábrica confiável jamais hesitará em mostrar a lista de aplicativos que já desenvolveu, bem como todo os seus conhecimentos e tecnologias aplicadas nos processos. Eles estarão sempre prontos para sanar quaisquer dúvidas que possam surgir.

Então solicite acesso aos aplicativos, faça downloads e teste-os para verificar as funcionalidades, design, recursos e o que mais considerar importante. Caso a empresa se negue a ceder essas referências, desconfie.

2. Como posso contatar os clientes atuais e anteriores?

Não há ninguém melhor do que os próprios clientes para fornecer as referências mais confiáveis. Portanto, solicite o contato dos clientes que atendidos atualmente e também dos que já foram atendidos no passado.

Contate todos eles ou a quantidade que achar necessária e pergunte como foram as experiências deles com a empresa desenvolvedora. É muito importante ouvi-los atentamente, anotando os detalhes e fazendo perguntas que estimulem eles a dizerem o que você precisa saber. Mais uma vez, desconfie se a empresa se negar a passar esses dados.

3. Quais dispositivos são utilizados no desenvolvimento?

No início, para ter custos mais baixos de desenvolvimento, é bem provável que a empresa crie uma versão beta com recursos limitados, sendo o suficiente para atender somente às necessidades mais básicas dos usuários.

No entanto, você precisa perguntar à organização quais dispositivos móveis aquele app atende e quais ela usa no desenvolvimento. Afinal, se o aplicativo não atender a algum dispositivo importante para o seu objetivo, pode comprometer seu plano de ampliar o atendimento no futuro.

4. Como vamos nos comunicar durante o desenvolvimento?

A etapa de desenvolvimento é uma das mais importantes e a fábrica de aplicativos deve oferecer meios de comunicação diretos e instantâneos, a fim de facilitar e agilizar a troca de informações entre contratante e contratado.

Parece uma coisa simples, mas muitas empresas não se comunicam bem e tomam decisões próprias sem consultar o cliente toda vez que surge uma dúvida no processo. Para evitar que isso aconteça com você, certifique-se de questionar esse ponto e manter um diálogo aberto antes, durante e após o desenvolvimento do aplicativo.

5. Terei acesso a quais recursos e personalizações?

Para contratar uma fábrica de aplicativo, considere também as experiências e tecnologias que ela disponibiliza. Uma boa fábrica deve ser apta para adicionar características específicas ao aplicativo (como design e layout), bem como recursos e funcionalidades que darão as personalizações desejadas pelo cliente.

Algumas empresas oferecem exemplos de modelos já personalizados e dão a opção de o cliente escolher o que melhor atende às suas necessidades. Mesmo padronizados, é possível realizar mudanças como a remoção e adição de recursos e funcionalidades.

6. Como posso monetizar o meu aplicativo?

Mesmo que a ideia seja apenas engajar e fidelizar o público, saiba que você pode gerar receitas adicionais com um aplicativo. Basta adotar algumas medidas estratégicas. Isso será importante para ajudar a pagar o investimento realizado e poderá tornar o aplicativo mais rentável do que imagina!

Para aproveitar essas e outras oportunidades, pergunte à empresa desenvolvedora se ela oferece um ou mais modelos de monetização que se adaptem bem ao seu produto. Alguns tipos mais comuns são a cobrança de uma taxa para o download e anúncios e os encargos mensais de uso.

Mas fique atento ao modelo e à finalidade do aplicativo, pois nem todos os meios de monetização podem ser uma boa, podendo afastar em vez de atrair os usuários.

7. Quem será o proprietário do aplicativo?

Normalmente, quem paga pela criação, desenvolvimento e lançamento de um aplicativo móvel torna-se o dono do produto acabado. Mas para ter certeza de que possui todos os direitos sobre o aplicativo encomendado, você deve se fazer as perguntas deste post.

Além disso, você e a fábrica desenvolvedora devem assinar um contrato que especifique a cessão dos direitos autorais e quaisquer outros direitos que amarrem o aplicativo ao desenvolvedor. O contrato deve mencionar fatores como a confidencialidade, design, o código-fonte do aplicativo e todo o seu conteúdo.

8. Como o aplicativo será testado?

Os desenvolvedores mais experientes sabem que rodar um aplicativo no smartphone antes de lançá-lo é uma etapa fundamental. O teste é necessário para verificar o seu correto funcionamento, identificar falhas e corrigi-las para que o sucesso não fique comprometido diante dos usuários reais.

Então pergunte à fábrica de aplicativos como ela pretende testar o produto. Além disso, ela deve informar como removerá bugs encontrados e corrigirá problemas depois que o aplicativo já estiver disponível para download.

9. Como o aplicativo será apresentado?

Uma vez que a versão beta de um aplicativo é testada e aprovada, os desenvolvedores devem enviar o produto em seu nome para a loja de aplicativos, a app store.

Porém, o processo de apresentação varia bastante de uma loja para outra. Por isso, a fábrica deve mencionar quais estratégias utilizará para padronizar e criar uma identidade que seja reconhecida em qualquer loja.

Ou seja, independente da loja de aplicativos que o usuário visitar, se o seu app estiver lá, ele deve reconhecê-lo.

10. Quais são as taxas e condições de pagamentos?

Uma fábrica de aplicativos costuma oferecer diversas formas de pagamentos, tais como pagamento por hora ou um valor fixo para o projeto inteiro. Porém, a melhor forma dependerá da análise da sua empresa.

Em um projeto simples e rápido, o pagamento por hora pode ser mais interessante. Já para projetos mais ambiciosos e com alta complexidade, o tempo pode influenciar no custo e contratar um valor fixado pode ser a melhor opção. Não esqueça de mencionar os valores e formas de pagamentos no contrato.

Antes de contratar uma fábrica de aplicativo, faça todas essas perguntas a ela e aumente as chances de sucesso do seu projeto, eliminando dores de cabeça e arrependimentos posteriores.

E aí, gostou das dicas? Siga-nos nas redes sociais e não perca mais nenhum detalhe! Estamos no Facebook e no LinkedIn!