Conheça 7 etapas necessárias para a criação de um aplicativo

A criação de um aplicativo para o negócio pode ser uma ótima estratégia para aumentar o engajamento do público e otimizar as vendas. Antes de criá-lo, entretanto, é preciso definir qual será o seu objetivo, além de como e quando ele será criado. Tendo tudo definido, você terá em mãos as informações necessárias para investir em um projeto com altas chances de sucesso.

Se você não sabe como começar, preparamos um guia com as etapas que devem ser seguidas para garantir processos mais eficientes e assertivos.

Veja no nosso post de hoje as sete principais etapas da criação de um aplicativo!

1. Identifique uma ideia ou um problema e atenda a essa necessidade

A melhor maneira de criar um aplicativo é identificar problemas, necessidades e desejos do público-alvo no segmento de atuação da sua empresa. Essa tarefa pode ser mais fácil se você estabelecer uma conexão com os clientes, a fim de ouvi-los e coletar feedbacks.

Um aplicativo bem-sucedido é capaz de resolver esses problemas de maneiras até então inimagináveis. Quando olhamos ao nosso redor, observamos que cada produto e serviço foi criado para atender uma necessidade específica. Por exemplo, se queremos ir de um lugar a outro mais rápido, usamos um carro — se queremos ir mais rápido ainda, pegamos um avião.

Então fique atento aos problemas dos seus clientes, liste cada um deles e comece a pensar em como poderia resolvê-los. Uma boa ideia começa assim. Se um problema e/ou uma oportunidade existe, poderá haver uma ótima demanda para o seu aplicativo.

Uma ferramenta gratuita que pode ajudar nessa etapa é o Google Keyword Planner, que informa o número de pessoas que pesquisam uma solução para um problema ou uma necessidade. A demanda existente para a sua ideia pode ser medida por ela.

2. Planeje o layout e os recursos que serão necessários

Identificada a ideia e a demanda, você sabe de algo que as pessoas querem ou precisam usar. Agora é a hora de planejar como será e funcionará o seu aplicativo.

Ao colocar as suas ideias no papel, lembre-se de ser o mais detalhista possível, incluindo, por exemplo, como deseja que o usuário navegue pelo aplicativo, bem como todos recursos necessários para a sua correta funcionalidade. Isso ajudará o seu desenvolvedor a entender melhor quais são as suas expectativas.

Seja cuidadoso com o excesso de recursos adicionados para não o deixar pesado demais e prejudicar o seu funcionamento. Antes de adicionar todas as funcionalidades que puder, ofereça apenas o essencial para atender às necessidades mais básicas dos usuários.

Dessa forma, além de o aplicativo rodar de forma mais leve e suave, poderá guardar recursos adicionais e complementares como uma carta na manga. Depois de um tempo do lançamento, atualizações com esses novos recursos poderão manter o interesse do público por mais tempo. Isso ajudará a manter os custos iniciais do desenvolvimento mais baixos e a alcançar uma boa fatia do mercado mais rapidamente.

3. Crie um design com foco na experiência do usuário

Coloque a experiência do usuário sempre em primeiro lugar. Criar um aplicativo da maneira como quer — só por achar mais bonito e ignorar a opinião do público — é um erro que leva muitos aplicativos ao fracasso.

O design não é apenas sobre como o seu aplicativo deve ser exibido — também se trata de como o usuário vai enxergá-lo e experimentá-lo. O design deve ser pensado para tornar a tecnologia útil e trazer benefícios reais aos usuários.

Fazer esse trabalho sozinho também pode ser perigoso, principalmente se não tiver os conhecimentos, as habilidades e as experiências necessários. Por isso, procure uma empresa de desenvolvimento que possui grande know-how na área para ajudá-lo nessa etapa. Pesquise a sua credibilidade na internet e os aplicativos que criou para saber se é confiável — se você gostar dos modelos criados, a empresa poderá ser o parceiro certo para desenvolver um aplicativo.

4. Faça testes antes de lançar o aplicativo no mercado

O teste é importante para evitar que o usuário se depare com as falhas de funcionalidades, o que poderia comprometer a imagem do aplicativo e aumentar a taxa de rejeição dele logo no início.

Então use o aplicativo e peça para que todos colaboradores e gestores da empresa participem do teste antes que ele chegue ao mercado. Peça também para que fiquem atentos a falhas e anotem os problemas e as oportunidades de melhorias para que o aplicativo possa ser corrigido e aprimorado.

5. Analise os resultados após o lançamento

Fazer uma análise dos resultados permitirá que você saiba o impacto do seu lançamento, além de projetar resultados futuros e descobrir o potencial do aplicativo no mercado.

Nessa etapa, existe uma ferramenta gratuita que pode ajudar bastante: O Google Analytics. Ela ajuda você a rastrear os downloads e a ver a taxa de engajamento e retenção que o aplicativo alcançou com os usuários.

6. Obtenha feedbacks rápidos

Assim que o aplicativo for lançado, os primeiros usuários devem fornecer feedbacks com informações sobre como melhorar o aplicativo. Os aprimoramentos e as alterações podem ser constantes, portanto, fique de olho nos comentários dos usuários para basear o desenvolvimento do aplicativo nas opiniões de quem o usa.

7. Adicione novos recursos

Se você criou uma versão com recursos limitados, fique atento às oportunidades para lançar novidades no mercado. Depois de um tempo sem grandes mudanças, é normal que o volume de downloads e o uso do aplicativo caiam consideravelmente.

Dessa forma, esse pode ser o momento certo para introduzir as suas novas funcionalidades. Mais uma vez, use a opinião dos usuários para lançar os recursos mais relevantes e ter uma boa taxa de aceitação.

Essas etapas não são obrigatórias e também não são as únicas, mas são as mais importantes para aumentar as chances de sucesso na criação de um aplicativo. Use-as como um passo a passo e crie o seu aplicativo da maneira mais eficaz possível.

E aí, gostou das nossas dicas? Então não perca tempo e aproveite para conhecer também as cinco vantagens dos aplicativos para as empresas!